sexta-feira, dezembro 07, 2012

UM ATÉ JÁ

Há coisas para as quais nunca estamos preparados.
Mesmo quando pensamos que sim.
O meu pai partiu. Para um sítio melhor, quero acreditar.
Mas mesmo nestas alturas, há coisas pelas quais devemos dar graças. O meu pai foi poupado a muito sofrimento. E isso, acalma-me o coração.
Dizem que Deus escreve certo por linhas tortas. É nisto que eu quero, preciso e vou acreditar. Só assim fará  algum sentido pra mim aceitar o facto de isto ter acontecido comigo longe de tudo e de todos.
E mesmo que alguns dos que eu amo não me entendam, é a isto que me vou agarrar com unhas e dentes. Porque sempre estive nas horas importantes. Nas boas e nas más. Nas pequenas e nas compridas. E se agora não estou... é porque não devia estar.
Sempre achei que o importante é a vida. Estar presente nas vidas. Mesmo que essa presença possa não ser física o tempo todo.
Já a morte... vou pensar que é apenas um até já.
Até já, Pai!

4 comentários:

Anónimo disse...

Beijinho grande e um abraço apertadinho. White Angel/Margarida

Anónimo disse...

Olá, Lurdes
Ontem ao visitar o teu espaço como habitualmente deparei-me com esta notícia de um momento triste da tua vida.
Nunca é fácil viver um momento destes, mais ainda quando estamos afastados e "sós", e sobretudo não podemos contorná-lo mesmo sabendo que um dia chega.
Mas é como dizes, o mais importante são os momentos que se guardam na memória e que podemos sempre reviver, pensando.
um abraço grande.
Galileu, Galilei

Anónimo disse...

Sei que deixamos de falar, mas não podia deixar de te enviar uma mensagem de força. E sim, sei que estiveste presente em muitos momentos importantes, quando outros não estavam. E sim há que acreditar que a morte é um até já. Que nos encontraremos aqui ou (no)noutro lado, pois o meu pequenote assim me ensina todos os dias quando diz que há outros mundos. E sim, se estás longe é porque tinha de ser, para que ao regressares a força seja maior para ajudar quem já a perdeu, a esperança.
Não fiques admirada por te escrever; soube através do face de um amigo comum do face da minha cara metade. É o mundo virtual que nos rodeia e que nos faz chegar perto de quem está longe e que, por caminhos misteriosos (ou não) me levou hoje até aqui. Um beijo grande e muito sentido.
Sónia

Lurdes disse...

Obrigada, meu anjo! É tão bom ter-te por aqui...
Beijinhos

Obrigada pelo carinho, Galileu! Esse abraço foi importante.

Sónia, curiosamente venho agradecer as tuas palavras no teu dia :)
Um grande beijinho de parabéns!
O mundo virtual é engraçado...

Beijinho grande aos 3