quinta-feira, março 03, 2011

ÀS VEZES O SILÊNCIO É MESMO DE OURO

Na ânsia de se querer dizer tudo o que se sente, nem sempre se o diz da melhor forma. Nem sempre o que se lê, se lê da forma que quem o escreveu lhe deu. Explicar sentimentos não é fácil. E talvez por isso seja melhor senti-los, apenas. É que o silêncio pode doer mas há palavras que doem muito mais.

4 comentários:

Roadrunner disse...

Que diria o Descartes disto!

Saudações do Roadrunner!

Lurdes disse...

Qualquer coisa deste género, Road:

"Todos os homens dão mais atenção às palavras do que às coisas; o que faz com que concordem muitas vezes com termos que não entendem e que não se preocupam em entender, ou porque acreditam tê-los entendido noutros tempos, ou porque lhes pareceu que aqueles que lhos ensinaram conheciam-lhe o significado e que eles o aprenderam pelo mesmo meio."
Será?!

Amandio disse...

Apesar de conhecer este teu blog, raramente me lembro de cá vir espreitar. No entanto, sempre que o faço sou agradavelmente surpreendido.

Lurdes disse...

És sempre bem-vindo, Amândio! E ainda bem que és surpreendido de uma forma agradável.