terça-feira, outubro 29, 2013

HOJE

Hoje, pela primeira vez na minha vida, assisti a uma tentativa de reanimação por parte do corpo médico do INEM. Houve um acidente grave entre um carro e uma moto. Um homem deitado no chão, entubação, massagens cardíacas. Não resultou.
Hoje há um filho, talvez pai também, um marido ou namorado, que não vai chegar a casa. Porque houve um estúpido acidente.
Hoje fiquei impressionada. É que a vida, de facto, pode acabar num segundo. E tanto que fica por dizer... e tanto que fica por fazer...

3 comentários:

Anónimo disse...

Olá,

Sim, é verdade, li ontem no JN na página da internet. Era um polícia municipal do Porto e embateu contra um carro que fazia inversão de marcha aí muito próximo de ti.A semana passada foi um colega de trabalho, num segundo tudo tinha terminado, para ele e de certa forma para a miúda de quarenta e tal anos que deixou com dois filhos. Ao longo da vida nunca esqueci essas situações que encontrei de não termos tempo de desligar o computador, deixando os sonhos suspensos. Passei a dar um valor inestimável ao presente e cada vez mais, é o presente que tenho como referência.
Galileu, Galilei

Roadrunner disse...

É por isso que é preciso viver e aproveitar ao máximo cada dia da nossa efémera existência...

Saudações e Boas Festas!

Lurdes disse...

Galileu, o presente é de facto o que temos. E devemos tratá-lo como isso mesmo, um presente que temos. E desfrutar dele! Bjns

É isso mesmo, Road! Beijinhos e Boas Festas!