quinta-feira, agosto 15, 2013

15 DE AGOSTO

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava,
Nem homens cortaram veias,
nem o sol escureceu,
nem houve estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

P'ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha mãe...

José Régio

3 comentários:

Anónimo disse...

Não sei se ficou tudo como estava, mas eu creio ter ganho uma amiga, ou não é verdade?

Galileu, Galilei

Joel Carvalho disse...

O carteira Vazia - eu sei que talvez este local não seja o mais próprio para divulgar uma página, mas não custa nada dar uma olhada rápida pelo meu blog. penso que toda a todos, a crise...

http://ocarteiravazia.blogspot.pt/

Lurdes disse...

É verdade sim senhora, Galileu!
Beijo grande