quarta-feira, setembro 05, 2007

22 ANOS APENAS

Trabalhou na empresa ano e meio. Era bastante infantil para a idade mas ía cumprindo as suas tarefas. Ultimamente porém, andava a meter o pé na poça. Não gostei. Zanguei-me e chamei-o à razão. Não gostou. Achou que não havia motivo para tal (o ego falava mais alto que ele). Passado pouco tempo foi embora sem dizer nada a ninguém. Deixou simplesmente de aparecer. Gostei ainda menos. Fiquei ainda mais zangada. Enviou uma carta mais tarde, a dizer que não voltava.
Gostava de carros, de lhes pôr e tirar peças/adornos/o que lhe queiram chamar. Gostava de velocidade, de brincar ao volante. Já tinha tido alguns acidentes mas nada de muito grave, pelo menos para ele. Ontem à noite morreu numa mota. Porquê, Nuno?

8 comentários:

Pedro Link disse...

Pois é Lurdes, a vida realmente não vale nada.
Ironia do destino, mas hoje faz anos que num acidente de automóvel fiquei sem os meus pais e sem a minha namorada, acidente esse em que o meu pai em nada foi culpado.

Porquê?

Beijos

Break Silence disse...

Infelizmente a vida é assim Lurdes, quando menos esperamos, alguem, gostemos ou nao dessa pessoa se vai.
Gostei do blog, vou linkar.
Beijos
http://refugiosdemim.blogspot.com/

Anónimo disse...

Olá, Lurdes
Acabo de chegar após falar com os pais do R.. O meu trabalho é averiguar as causas, mas não posso fugir aos lamentos de quem aguarda uma decisão dos médicos ou divina, já nem eles sabem. O R. está há 35 dias na Unidade de Cuidados Intensivos em coma e tanto pode acordar para a vida como para a morte. O R. tem 22 anos e gostava de motas. Naquela noite, provavelmente, circulava a velocidade desadequada e com uma roda no ar, quando a baixou era já tarde de mais.
O teu PORQUÊ? nunca terá resposta. Ao fim de 25 anos começo a ficar cansado de falar com tantos mais que choram a morte dos filhos.
Bjs
AS

ERute disse...

É triste ver morrer pessoas tão novas na estrada...
Os pais e namorada do Pedro morreram sem terem culpa, outros morrem na estrada porque lá procuram a sua morte. Posso parecer insensível, mas não sou, doi-me imenso cada vez que ouço a notícia de acidentes de viação. Ando na estrada todos os dias e o que vejo com bastante regularidade são milagres porque há muita gente que brinca com a própria sorte e com a sorte dos outros. Nessa sorte estão VIDAS.
Também sei que há outras situações que são Acidentes, no sentido de um acaso que acontece.

Não há muito tempo que a minha familia foi vitima de uma morte na estrada, quem morreu foi a pessoa que originou o acidente, adormeceu... e por isso sei que doi e que custa.

Rezo pelo R., por todos os que andam na estrada e por todos os que perdem os seus familiares na estrada.

eumesma disse...

A vida não se explica e a morte muito menos...
O meu pai morreu qd eu tinha 18 anos, atrás da minha rua, á vista da minha janela, em plena luz do dia, comigo dentro de casa, qd ia todo feliz para o seu almoço como fazia todos os dias, atropelado por um estupido qualquer que até andava com farolins partidos e tudo...
Morreu ali, naquela estrada onde tantas vezes passou na sua vida...
Hoje, passados mais 18 anos da minha vida, ainda me pergunto, "porquê", "como"...enfim...
Voltando ao rapaz, talvez tenha sido essa infantilidade de que falas, que o fizesse não ter responsibilidade na condução, e o tenha levado á morte...
Mas uma vez se prova que a vida é mto efemera, que a devemos viver da melhor forma possivel, de a proveitar, porque um dia estamos bem, no outro já não estamos e a idade nada tem a ver com nada.

Bjs e um beijo especial para a familia desse rapaz.

Babe disse...

É demasiado injusto que alguém tão jovem desapareça assim, não é?

Lurdes disse...

Eu quase que ainda não acredito...

Beijinhos pra todos

Anónimo disse...

Estava eu aqui a dar uma espreitadela e deparo-me com esta noticia!
Estou pasma!!!!
Fiquei mesmo sem palavras....

Bjinhos grandes
Anabela